Pau dos Ferros: Leonardo Rêgo diz que compensações previdenciárias possibilitaram realização de obras e revela que mais de 60 prefeituras do RN adotaram procedimento.

28 de setembro de 2015

O ex-prefeito Leonardo Nunes Rêgo (DEM) esteve na Rádio AM Cultura do Oeste, de Pau dos Ferros, neste sábado (26), para fazer um esclarecimento à população sobre diversas polêmicas geradas em torno do seu nome, pelos seus adversários políticos, especialmente sobre as compensações previdenciárias realizadas durante o seu governo e que, somente agora, está servindo de "cavalo de batalha" para que o seu antigo aliado, prefeito Fabrício Torquato (PSD), tente justificar a ausência de obras da sua atual gestão no município.

Logo na abertura do programa, Leonardo Rêgo explicou, didaticamente, como ocorreram as compensações previdenciárias, inclusive, ressaltando que o procedimento foi realizado após um alerta direcionados às prefeituras de todo o país, na época, divulgado pela Confederação Nacional dos Municípios (CNM) e pela Federação dos Municípios do Rio Grande do Norte (FEMURN), informando que os municípios teriam direito de reaver recursos de contribuições que teriam sido repassadas indevidamente ao INSS. Portanto, segundo ele, na qualidade de prefeito apenas buscou um legítimo direito do Município, através de um escritório especializado na área (Bernardo Vidal Advogados).

Todavia, o ponto alto do pronunciamento foi quando Leonardo informou que o mesmo procedimento havia sido realizado por mais de 500 prefeituras do Brasil e mais de 60 no Rio Grande do Norte, somente através do escritório Bernardo Vidal Advogados, incluindo a Prefeitura de São Miguel que, detalhe, na época, era administrada por Galeno Torquato, primo do prefeito Fabrício Torquato. "Aqui na região foram quase todos os municípios que, rigorosamente, fizeram a mesma coisa que a prefeitura de Pau dos Ferros. E aqui eu vou citar, por exemplo, e aí eu quero ver o que o gestor de Pau dos Ferros vai dizer. O seu deputado estadual que era prefeito de São Miguel fez a mesma coisa que Leonardo efetuou em Pau dos Ferros, mas eu não estou dizendo que ele tenha feito nada ilegal, pois, assim como eu, ele foi atrás de um direito que era da prefeitura de São Miguel. E o que é que vai ser dito? Agora Leonardo está errado e o deputado dele, que é primo dele, está certo?", questionou.
O ex-prefeito ainda desmistificou a polêmica sobre os valores reais que teriam sido compensados pela prefeitura de Pau dos Ferros, durante sua gestão. De acordo com Leonardo Rêgo, apesar de estarem propagando o montante de R$ 21 milhões, o valor total compensado foi de pouco mais de R$ 5 milhões, e enfatizou que os recursos foram utilizados para a realização de inúmeras obras na cidade. "Na nossa administração foram realizadas 167 obras, sendo que 106 foram feitas com recursos próprios da prefeitura. Mas, o que a população precisa entender é que eles estão tentando deturpar este fato como se fosse o único feito, a principal realização, o principal troféu que a atual administração municipal tem.", observou.

Sobre os desdobramentos jurídicos do chamado 'Caso Bernardo Vidal', foi esclarecido pelo ex-prefeito Leonardo que em nenhum momento do processo administrativo que tramitou na Receita Federal o nome dele é citado, descartando qualquer possibilidade de vinculação do fato como motivo gerador de inelegibilidade política, e acrescentou que a única demanda judicial que existe contra ele sobre o mesmo assunto (Ação Popular) foi ajuizada por um adversário político. "Eu quero dizer a Pau dos Ferros o seguinte: qualquer demanda judicial vinculada a este assunto, que for impetrada contra Leonardo Rêgo, eu estou completamente à disposição, com a máxima serenidade possível, a prestar todos os esclarecimentos. Agora não venham querer me condenar por uma coisa que eu não fui nem citado. Coloque o bem coletivo acima do seu próprio interesse, tenha responsabilidade administrativa.", asseverou.

Outra informação importante repassada por Leonardo Rêgo foi a de que, até o momento, a prefeitura de Pau dos Ferros não direcionou nenhum recurso para o pagamento desta obrigação gerada junto à Receita Federal, em virtude das compensações previdenciárias, fato que "joga por terra" as argumentações disseminadas de oneração imediata dos cofres públicos, e ainda rechaçou os boatos espalhados na cidade de que os servidores municipais seriam prejudicados futuramente pelo seu ato administrativo enquanto prefeito. "Até o dia de hoje, não foi debitado e nem pago um centavo dos cofres municipais com relação a este assunto. O objetivo único desta atual gestão é implantar o terrorismo e causar o caos à população.", pontuou.

Perseguição dos Adversários

Ainda em seu pronunciamento deste sábado, o ex-prefeito Leonardo falou sobre a perseguição implacável que vem sofrendo por parte dos seus desafetos políticos, mesmo estando sem mandato, a qual qualificou como uma tentativa covarde de denegrir a sua imagem.

"Hoje a cidade amanheceu com algumas situações que vocês já devem ter tomado conhecimento. Sabe qual é o objetivo? Desconstruir a minha imagem, mas deixe eu lhe dizer uma coisa: eu não me aflijo com covardia. Não me incomodo com covardia de quinta categoria não. Eu tenho berço, tenho dignidade, tive exemplo do meu pai e da minha família. Não vou mais aceitar que minha imagem seja denegrida, a minha família tem um histórico de respeito, reconhecido no Rio Grande do Norte. Não adianta tentar descaracterizar minha imagem, minhas ações estão marcadas na cidade de Pau dos Ferros.", destacou.

Caos administrativo e conchavos políticos

Em seguida, Leonardo lamentou o caos administrativo instaurado na cidade e revelou números de uma sondagem interna apontando que apenas 8% da população encara o atual gestor como líder político, desempenho sofrível que estaria obrigando ao prefeito Fabrício a se adaptar a uma situação constrangedora, mas conveniente, de ter que se aliar com antigos adversários.

"Apenas 8% da população pau-ferrense aponta o atual gestor como líder político. O gestor atual é uma figura sem personalidade, ele é descaracterizado, já é a terceira vez que ele está mudando de partido, em um intervalo de quatro anos. Então, essa tese de distanciamento é só conveniência, o pacote está fechado. O projeto é o seguinte: tirar Leonardo Rêgo de cena para colocar Pau dos Ferros em uma situação crônica de atraso.", ressaltou.

Projetos futuros e determinação

Aparentemente emocionado, o ex-prefeito de Pau dos Ferros demonstrou resiliência diante das afrontas sofridas nos últimos dias, gratidão pelo apoio recebido da população e o desejo claro de continuar protagonizando no contexto político local.

"Eu não posso abandonar o povo de Pau dos Ferros em hipótese alguma. Eu quero dizer, com tudo que está acontecendo, que isso só vai fortalecer o povo, isso para mim é estimulante. E eu tenho aqui que agradecer a todos pelas orações, pelas ligações e palavras de apoio. Eu estou estimulado e se vocês acham que me intimidam com esse tipo de situação, vocês vão ter um Leonardo com força e coragem redobrada para livrar Pau dos Ferros desse retrocesso.", bradou.

Convenção do DEM

Por último, Leonardo Rêgo convidou a população para participar da convenção de homologação da comissão própria do Democratas, de Pau dos Ferros, e convidou aqueles que simpatizam com a conduta do partido para fazer parte dos seus quadros, através do ato de filiação, neste domingo (27), a partir das 14 horas, no Kandice Buffet.

O evento deverá contar com as presenças de nomes importantes da política estadual como o senador José Agripino (DEM), o ex-deputado federal João Maia (PR), a ex-prefeita de Mossoró Cláudia Regina (DEM), os deputados federais Rafael Motta (PROS) e Felipe Maia (DEM), os deputados estaduais Raimundo Fernandes (PROS) e Getúlio Rêgo (DEM), além de lideranças regionais e locais.

Fonte: Política Pauferrense

0 comentários:

 
Taboleiro Grande News © 2011 | Designed by RumahDijual, in collaboration with Online Casino, Uncharted 3 and MW3 Forum