RN só possui 10 autoescolas com simuladores de direção veicular, diz Detran

24 de julho de 2015

Autoescolas alegam que prazo para atender a resolução do Contram e adquirir os simuladores é curto.
Os Centros de Formação de Condutores (CFCs) terão até o dia 31 de dezembro deste ano para adquirirem os simuladores de direção veicular. A exigência é do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), e entrou em vigência com a Resolução Nº 543, publicada no último dia 20 de julho no Diário Oficial da União.
PERSO-2-INT-P
A equipe do Nominuto.com entrevistou o diretor técnico do Departamento Estadual de Trânsito (Detran), Jacob Costa, que explicou sobre a finalidade e importância das aulas em simuladores. O gestor acredita que as aulas contribuem na formação dos motoristas. “As aulas simuladas servem para o aluno ter acesso a situações de perigos e riscos que ele pode encontrar no trânsito comum. Não houve perda, houve um acrescimento de recurso pedagógico que eles terão em sua formação”, explica.

Sobre os investimentos dos CFC, Jaboc acredita que o prazo estabelecido pelo Contran é suficiente. O diretor disse ainda que apesar do número de funcionários do Detran não ser suficiente para realizar o serviço de fiscalização que a implantação dos simuladores vai exigir, o possível está sendo feito. “Infelizmente o número de funcionários não é suficiente, o número é pequeno, mas faremos o possível para continuar atendendo todo o estado”, detalha.

O diretor acrescentou que as empresas que vendem esses simuladores vão disponibilizar capacitação e manutenção dos equipamentos, previsto em contrato. Ele evidencia que o Detran vai fiscalizar se as aulas estão sendo ministradas e se os equipamentos estão funcionando corretamente.

Segundo Jacob, atualmente, das 83 autoescolas cadastradas no Rio Grande do Norte apenas 10 possuem esses simuladores, alguns desativados e outros desatualizados.

PERSO-INT-PNossa equipe também visitou uma autoescola que funciona nas proximidades do Detran e ouviu a diretora-geral do local, Adriana de Araújo. Ela discorda da necessidade de se usar esses recursos. “O simulador seria para testar coordenação motora e isso pode ser adquirido nas primeiras aulas, que acontecem em ruas não movimentadas, tranquilas. O meu filho de 13 anos com certeza tem um desempenho melhor do que eu um simulador, já em um carro não, é diferente”, disse.

Adriana esclarece que a situação de alguns centros de formação não é favorável para atender à resolução e que o prazo é pouco. “Acredito que muitos não têm recursos para possuírem esses simuladores dentro desse prazo. Um centro de formação que possui uma estrutura pequena tem grandes chances de fechar as portas. O valor do investimento é alto, em torno de R$ 40 mil reais”.

O Ministério das Cidades, ao qual o Contran é vinculado, explica que as aulas nos aparelhos deverão ocorrer após o aluno ter feito o curso teórico e antes de iniciar a prática nas ruas. Ainda, de acordo com a resolução, os candidatos à obtenção da Carteira Nacional de Habilitação (CNH) ou aqueles motoristas que irão mudar de categoria serão obrigados a fazer, no mínimo, 5 horas/aula, de simulação, sendo uma com conteúdo noturno.

Fonte: Ricardo Júnior/Nominuto.com

0 comentários:

 
Taboleiro Grande News © 2011 | Designed by RumahDijual, in collaboration with Online Casino, Uncharted 3 and MW3 Forum